O que estou pensando

17.3.18

Yelena Bryksenkova
Teve uma época em que eu acreditava mais nas pessoas, na bondade delas. Não que eu esteja completamente cética, porém hoje em dia é bem difícil conseguir confiar nas pessoas. Falar coisas que você guarda a sete chaves, pois sabe que elas não entenderão. Antigamente eu falava mais o que sentia, hoje guardo tudo pra mim. Não tem sido fácil não confiar e não esperar a empatia das pessoas. Mas elas mesmas nos impedem disso.

Sinceramente não me preocupava com essas coisas de fotos postadas, curtidas em algum post. Eu tive um blog e ele só importava a mim. Hoje é inevitável depender da aprovação dos outros. Juro que me esforço, mas a sombra da decepção sempre vai espreitar pelas terras de cá. Me sinto de certo modo culpada por isso tudo.
Gostaria de voltar no tempo. Por que não posso voltar no tempo? Queria começar tantas coisas e acho que estou ficando velha demais pra tudo o que tenho vontade de fazer. Será que mentir a idade e não mostrar o RG funciona? Queria poder ser mais nova; voltar no tempo e ter feito o que tenho vontade de fazer hoje. Parece que não há mais tempo, embora eu ouça sempre por aí frases que parecem um incentivo, mas lá no fundo não querem dizer nada: "idade é só um número", "nunca se é velho para os sonhos" entre outros. Mas no meu caso não consigo pensar assim...
Não tenho talento, não tenho absolutamente nenhum talento. Para nada! É impressionante o quanto eu procuro algo em que ser boa e não encontro. Em lugar nenhum. Não sei se significa algo, mas como alguém pode não saber fazer nada?! Não estou dizendo isso por "confete", ou algo assim, eu sei do que se trata, pois convivo comigo há muito tempo pra saber que não tenho talento para nada. Pelo menos nada que dê retorno financeiro. Acho que até sei fazer coisas inúteis; é bem possível que só sei fazer coisas inúteis. Porém nada que possa me ajudar a pagar as contas. Eu me detesto por isso.
Deveria ser mais gentil comigo mesma. Eu sou péssima com minha própria pessoa. Me privo das coisas; me coloco pra baixo; me encaro como um mero ser humano sem nenhuma capacidade. É difícil conviver na minha cabeça.
Já fui melhor? Já fui mais minha e de mais ninguém. Parece que me olho e sou outra pessoa. Quem é essa pessoa que eu vejo no espelho? Uma outra versão de mim; talvez não pior, mas não acredito que seja melhor... Se fosse melhor a sensação era de crescimento e não estagnação. Vejo pouca evolução e mais mudanças de um lado para o outro. Perdida. Assim não adianta. Por que não me reconheço? Por que quero sempre mudar? Provavelmente é tentar achar o meu "eu" que nunca foi meu, e que sempre ficou perdido por aí.
Pelo jeito, não há mágica nesse mundo. Não uma que sirva para mim...

leve inspiração nesse post, que foi inspirado por esse post

2 comentários:

  1. também tem me preocupado não conseguir desabafar com as pessoas. desabafar sem elas virem com julgamentos ou ações prontas de autoajuda que nada têm a ver com minhas necessidades. assim como me preocupo muito com essa necessidade de internet, redes e likes, está ficando doentio e não estou sabendo lidar com o offline. com mensagens ignoradas. com textos que podem significar um carinho, uma indiferença, ou mesmo nada, dependendo de como a cabeça da gente quer interpretar naquele momento.

    não acredito que não tenha talento! acho que apenas experimentou coisas das quais ou não praticou bastante, ou não se identificou a ponto de querer praticar. quando se achar sem talento, lembre sempre que os grandes artistas do passado tinham aulas e ferramentas para conseguir fazer os quadros que hoje estão em museus, não era apenas talento. mas sei como se sente! às vezes mesmo fazendo todas as coisas que a gente adora (ao mesmo tempo), nada tem sabor. tenho ficado assim nos últimos meses. tenho lido, estou procurando terapia, fechando contas de redes sociais, evitando comentários e conversas... vamos ver se melhora.

    não sei como te ajudar, mas saiba que te compreendo. espero que nós encontremos soluções, baratas e eficientes. que cheguemos com novos posts que contem boas novas e tudo o mais.

    :) beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Helen. Difícil se abrir quando as pessoas não se esforçam em te compreender. Uma coisa que me irrita muito é que a pessoa tem que falar "bom, EU blablablá" Sempre "eu" "eu". Não dá pra por um instante pensar que a minha situação é minha e de mais ninguém? Tá bem complicado.

      Talvez eu tenha um talento, mas eu não sei... Acho que é bem isso que você disse: tem hora que nada nos dá vontade nem paixão. Vai ver é fase e vai passar. A internet tem um poder de forçar certas coisas sobre nossas percepção, e pode ser um pouco por isso que a gente se cobre tanto em relação a trabalho/carreira, sascoisa.

      Seu comentário já é um grande alívio, pode acreditar. Saber que alguém entende já me conforta. :) Obrigada pelo comentário.

      Beijins!

      Excluir

Muito obrigada pelo comentário e pela visita! ♥
Responderei assim que puder ;)

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan