Discos mais ouvidos até agora #3

23 de junho de 2021

Antes de tudo, preciso dizer que, sim, acabei abandonando esse bloguinho de novo por mais de um mês (sorry about that). A verdade é que ando bem travada quanto a escrita que não seja no journal (risos) e fiquei ensaiando escrever as coisas, mas nada saía.
Outra coisa é que prometi o tal post com os materiais que uso pra escrever, e acabei decidindo mostrar também o que uso nas leituras — como post-its, marca textos e outras coisitas. Então, sim teremos esse post (provavelmente saíra depois desse, na próxima semana), só peço paciência, por favor.

Dito as “desculpas” venho aqui com mais post musical. É que não tem jeito, quando travo em algumas coisas, como escrita por exemplo, acabo mergulhando mais e mais em livros e música, rs. O resultado disso é que acabo me inspirando para escrever mais por esses assuntos mesmo.
Pois bem, esse é o terceiro post que faço sobre os discos mais ouvidos no momento, mas arrisco a dizer que talvez fique um tempo sem termos dele. Porque o propósito é sempre trazer álbuns diferentes em cada post, e ultimamente tenho ouvido os mesmos, fora esses que mostrei nos anteriores e neste aqui. Entretanto teremos sempre posts musicais por aqui, como sempre digo, hehe.

Então, vamos lá para os discos mais ouvidos nesse ano (me baseio sempre no Last.fm. Pelo que notei desde o início, esses três foram os mais ouvidos, fora os que já comentei nos posts passados).


Young Heart - Birdy
 
Birdy lançou esse álbum dia 29 de abril e tenho ouvido demais, pois é aquilo que ela consegue fazer sempre: músicas suaves que lembram primavera e outono, uma delícia!
Falo com convicção que esse é seu melhor trabalho até agora, e gosto disso nos músicos. De evoluírem seu repertório e conseguirem melhorar ainda mais o que já era bom, sabe? Birdy foi ganhando uma maturidade pelos anos — pois a moça começou bem nova com seu disco de estreia, ela tinha só 15 anos. E agora depois de 10 anos ela nos entrega um trabalho com muita sensibilidade e mais experiência. Muito emocionante, há músicas mais melancólicas, com um ar mais outonal e tem as mais solares que são bem primaveris. Sem sair do pop-folk que ela sempre fez. Também tem aquele tom muito mais autoral mesmo. Não que nos outros ela não tenha feito isso, porém olho para ela hoje e comparando ao passado, vejo algo muito mais a cara dela, mais adulto também, obviamente.
Enfim, um álbum profundo, com belas letras. Gostoso de se ouvir agora no friozinho.

Faixas preferidas: VoyagerLonelinessThe OutsiderLighthouse.
bônus: Second Hand News


Banga - Patti Smith

Minha história mais intensa com Patti Smith se deu nos últimos meses do ano passado, quando li Linha M e me apaixonei por ela, suas ideias, suas palavras. Fui atrás de sua obra musical, pois não podia ficar mais tempo sem ouvi-la. Então na minha incursão, descobri esse álbum estupendo chamado Banga
Não o sei explicar muito bem. Acho que é algo mais experimental, mas ao mesmo tempo um álbum puramente de rock. No entanto, em algumas músicas temos referências literárias, históricas; acho que até cinematográficas, em outras parece só que ela nos fala algo bonito (como em April Fool e Maria). Como disse, não sei explicar bem o que é esse disco, rs. Ele tem aquele quê de progressivo, principalmente na faixa mais longa: Constantine's Dream. Monólogos são usados juntamente com distorções também. Já não sei dizer se é relativamente conceitual (me passou essa impressão ao ouvir com mais atenção), de todo modo é um trabalho dos mais diferentes no quesito de mistura e intensidade. Ele soa meio esquisito, talvez, contudo é um estilo de expressão que me agrada bastante.
Embora eu ache que conhecer um pouco mais o seus trabalhos anteriores seja uma boa antes de entrar de cabeça nesse disco aqui, não é necessário se entender tudo o que ela quer dizer para apreciar os instrumentos, o ritmo e os sons que Patti explorou aqui. Acho imprescindível ouvir essa obra dela, se quiser a conhecer de verdade.

Faixas preferidas: Amerigo; April Fool; Banga; Constantine's Dream.
bônus: After the Gold Rush


COR - Anavitória

Devo confessar que não ouço tanta música brasileira assim. E justamente nessa procura por mais artistas nacionais, caí no “chão” do trabalho dessa dupla nova, porém talentosíssima. Já conhecia as moças por nome, porém não tinha pegado seus trabalhos para ouvir com atenção. Numa dessas explorações pelo iTunes, fui parar na página da Rita Lee (quem não conhece que tome vergonha nessa cara, hein!) e vi que ela tinha um feat. com Anavitória. Pois na curiosidade fui lá ouvir e me deparei com uma música  — a Amarelo, Azul e Branco — que me fisgou na hora. Fiquei escutando só ela por um tempinho, mas depois não resisti e acabei conferindo o resto do álbum. E QUE ÁLBUM meus amigos! Que coisa mais primorosa esse trabalho tão bem feito e dedicado. As letras são tão bem escritas (em sua esmagadora maioria de autoria da Ana Caetano), com brincadeiras de rima e uso muito bem articulado do nosso lindo português. E o que dizer do instrumental? Nem sei, pois me surpreendi muito em como há uma mescla de instrumentos e melodias nessas músicas, que transitam do pop ao MPB, com pitadas de rock (tem uma ou outra música que me lembraram muito as do Cidadão Quem [se não sabe que banda é essa, dá uma googlada aí que tá jóia, rsrs]). Exuberante!
Ficarei de olho nessas belezas de agora em diante, pois me interessa demais acompanhar a carreira delas. Também dei uma conferida nos outros álbuns e são realmente bons, mas para mim, nesse aqui, elas mostraram uma grande maturidade musical (de novo, como a Birdy, né).

Faixas preferidas: Te amar é massa demais; Cigarra; Terra; Lisboa.
bônus: todas as outras, haha.

J.

8 comentários

  1. Aí Julie, amei suas descrições.. de alguém que mergulhou mesmo nas obras. Eu preciso voltar a me envolver com álbuns, perdi isso com o tempo. Fiquei curiosa pra ouvir todas, haha! E sim, apesar de ser de Recife conheço cidadão quem e eles tinham uma vibe tão boa, né?

    Você recomenda o Last.fm?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ouço várias vezes antes de fazer um poste como esse, pois absorvo demais, pra sentir o que eles estão me passando.
      Olha que legal, Liz! Hoje em dia já nem sei se os próprios gaúchos sabem quem é Cidadão Quem, então é muito curioso saber que você curte eles hehe.

      Como te falei no Insta, recomendo com ressalvas haha. Mas você disse que vai fazer a conta né? Espero que ache legal usar pra suas estatísticas.
      ;)

      Excluir
  2. Eu não reativei meu perfil do last fm por causa do seu post não né?
    Realmente é o melhor site para estatísticas músicais, não usava desde 2017! Esse álbum da Ana Vitória realmente tá uma coisa linda. Comecei a ouvir por causa de uma amiga e não parei mais.

    Já tinha escutado uma coisa ou outra de Birdy, mas sua descrição desse album me cativou, vou escutar.

    Super beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, é bom ter um lugar pra ver essas coisas né?
      Anavitória são lindas demais! Não consigo ficar sem ouvir esse disco mais, hehe.

      E Birdy faz um som muito gostoso, fora a voz macia que ela tem, uma beleza pra relaxar.
      ;)

      Excluir
  3. Eu só conheço o cover de Skinny Love da Birdy. Mas só pela foto eu já me apaixonei! Vou escutar o álbum quando chegar em casa.

    Também não ouço muitos artistas brasileiros. Mas sempre escuto Anavitória nas rádios e gosto do estilo delas e de como elas harmonizam bem quando cantam juntas (amo uma boa harmonização hehe)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escute, Claudia! Você não vai se arrepender ^^

      Sim, as vozes são muito harmoniosas, e justamente esse álbum está numa harmonia tão encantadora e fenomenal que não tem como não ouvir hehe
      ;)

      Excluir
  4. Nossa Julie, eu tô na mesma viu? Ouvindo SEMPRE os mesmos álbuns, over and over... Precisava muito desse empurrãozinho musical ~ vou marcar os três álbuns para ouvir no Spotify (que é a plataforma que eu uso atualmente, acho que nunca tentei o Last.fm ~ vale mais à pena?).

    Beijo, beijo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AH, que legal, Camila que vai ouvir esses álbuns, eles são muito bons mesmo (e acho que cada um pra um momento diferente também hehe).

      O Last.fm é uma plataforma pra você ter estatísticas, e não um player pra ouvir música. Acho que se você já usa Spotify (pago é melhor) não tem necessidade de ter um Last.fm, a não ser que queira ter uma rede pra juntar suas estatísticas com mais precisão. Mas hoje em dia nem recomendo mais rs.
      ;)

      Excluir

Muito obrigada pelo comentário e pela visita! ♥
Responderei assim que puder ;)