julie azevedo
Since 86. Queer person. leitora, escritora & blogueira. escuto música, bebo café e me preocupo demais com coisas que não deveria. Este blog tem mais de década de história, mas por aqui as coisas acontecem um pouco devagar.

A Casa no Mar Cerúleo, de TJ Klune

Já vou começar dizendo que achei esse livro impecável. Pode parecer um exagero dar esse adjetivo para um livro de fantasia, porém é o que ele é pra mim: impecável; brilhante e inesquecível também.

A maneira como tudo se encaixa, o desenvolvimento de cada personagem é tão bem feito que não precisou de mais de um livro de 380 páginas para detalhar toda a história de Linus Baker e as crianças mais fofas do mundo. Embora depois da leitura e de me apegar tanto, gostaria que existissem mais páginas para continuar junto com essa história e esses personagens, por outro lado é bom ver que há possibilidades de se escrever algo brilhante que não precisa de uma continuação cansativamente cheia de invencionices.

acervo pessoal

O autor TJ Klune não só abordou a temática de pertencimento, encontrar seu lugar no mundo, como conseguiu colocar milhões de outras nuances e percepções sobre nós seres humanos de forma simples, porém bela e cheia de significado.

O livro tem romance LGBTQIA+, mas não é necessariamente o foco. O livro fala muito de preconceito contra crianças mágicas, porém vejo como uma metáfora para crianças LGBTQIA+ ou até mesmo “diferentes” por conta de alguma condição (social, física etc.).

O enredo do livro nos leva a acompanhar Linus Baker, um assistente social que trabalha no Departamento Encarregado da Juventude Mágica (ou DEDJUM), até a ilha de Marsyas para monitorar o orfanato que lá existe, supervisionado por Arthur Parnassus. A partir daí, tanta coisa acontece.

O relacionamento entre Linus e as crianças muda drasticamente ao longo do livro. No começo algumas tinham medo dele e ele delas. Entretanto, cada vez mais Linus vai se encaixando naquela ilha de Mar Cerúleo, construindo relacionamentos familiares que ele não conhecia/tinha há muito tempo.

Às vezes, nossos preconceitos influenciam nossos pensamentos quando menos esperamos. Se formos capazes de reconhecer e aprender com isso, podemos nos tornar pessoas melhores.

Logo no início eu não estava curtindo tanto assim as crianças, mas — como Linus — aos poucos fui me apegando a cada uma delas e entendendo os motivos delas serem tão encantadoras. Cada personagem tem sua trajetória e personalidade distintas que se completam. Algumas dessas coisas mexeram muito comigo lá no fundinho do coração. Então não é surpresa que no final me acabei de chorar. Me senti muito feliz e aconchegada num lugar muito confortável e quentinho.

Há muitas frases marcantes e destacáveis pois, apesar de não ser uma história imprevisível, o livro surpreende pela beleza do texto, a maneira como é escrito, carinhosamente.

A vida nem sempre é [justa]. Mas lidamos com as coisas da melhor maneira que podemos. E nos permitimos torcer pelo melhor. Porque uma vida sem esperança não é vida.

É um livro profundo (sim!), que contempla temas como auto estima, confiança em si mesmo, família e outros que já mencionei anteriormente. Com diversas características tão humanas que nos fazem ser quem somos no mundo.

Vou guardar esse livro no meu coração para sempre. Favorito da vida!

J.

Comentários

  1. Esse livro é perfeito! Me emocionei em diversos momentos e fui muito feliz durante a minha experiência de leitura, feliz por ver essa recomendação :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Sim, é u m livro muito emocionante. Que bom que gostou da recomendação ^^

      Excluir
  2. Oi Julie,
    Faz um tempão que to postergando a leitura desse livro, tenho o ebook dele em inglês aqui antes mesmo do lançamento no Brasil e até hoje não li.
    Que bom que curtiu a leitura, é bom demais encontrar novos favoritos! Preciso me organizar pra ler ele, só ouço coisas boas sobre ♥

    Beijos,
    https://brenshelf.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Brenda!
      Recomendo que dê uma chance ao livro, pelo menos um pouco sei que você vai gostar ^^
      Obrigada pelo comentário ;)

      Excluir
  3. A gente tem medo do que não conhecemos ou não entendemos, quando passamos a conviver e compreender o medo vai embora

    ResponderExcluir
  4. Tenho este livro para ler e é bom saber que ele tem a tua aprovação!

    ResponderExcluir
  5. Estou com esse livro no Kindle faz um tempo. Cada resenha que eu leio faz elogios rasgados a ele. Preciso passar logo na frente! 📖

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você vai amar, Capitã. Quando puder, leia mesmo! <3

      Excluir

Postar um comentário

Muito obrigada pelo comentário e pela visita! ♡
Responderei assim que puder ;)